você está disponível

22 de agosto de 2017
por Bento José / Pedro Camilo
0 comentários

Disponível?

você está disponível

(do livro Mente Aberta)

“- Você está disponível?

Fazer essa pergunta assim, do nada, pode deixar margem a interpretações equivocadas sobre as minhas reais intenções… Continue Lendo →

equilibrio

22 de agosto de 2017
por Wil Oliveira
0 comentários

Ordem e paz interiores

equilibrio

“(…) a maioria de nós pensa em termos relativos ao tempo; pensamos que a ordem interior só pode aparecer com a ajuda do tempo, que a tranquilidade tem de ser formada a pouco e pouco, somando-se cada dia alguma coisa. O tempo não pode trazer essa ordem e paz interiores e, portanto, uma das coisas importantes que temos de compreender, é de que maneira fazer parar o tempo, de modo que não pensemos mais em termos de gradualidade; essa é uma imensa tarefa, significando que não há amanhã, para termos paz. Temos de achar a ordem nesse instante; não há outro momento.”

(KRISHNAMURTI. Como viver neste mundo. Conflitos humanos. 2 edição. Rio de Janeiro: Instituição Cultural Krishnamurti. 1976)

Continue Lendo →

O Julgamento

22 de agosto de 2017
por Ricardo Capuano
0 comentários

Ato 2 (sequência) – O Julgamento

O Julgamento

(Sequência do JNC – 242 de julho de 2017, que editou parte do segundo ato dessa peça teatral, comédia, na qual  Zé do Povo está em julgamento pela quantidade de frangos que matou…ops, que mataram e ele comeu. No primeiro ato, publicado em comemoração aos 21 anos no JNC,  n-o  241 de junho de 2017, Zé do povo não sabe porque será julgado.

Deus: – Pois é Zé… Você sabia que o que mantem a Lua no céu, sem cair, é essa lei da gravidade? Sabia que o que faz nosso planeta girar ao redor do Sol… e muito mais coisas, é tudo por causa dessa lei? Você sabia? Continue Lendo →

O Julgamento

22 de agosto de 2017
por Ricardo Capuano
0 comentários

Ato 3 – A Condenação

O Julgamento02

Abrem-se as cortinas Zé do Povo está sentado e a enfermeira está cuidando dele.

Promotor fala para a enfermeira: – Ele já está bem…Pode ir minha anjinha (se engraçando com ela)

Deus com cara de bravo: – Vou ter que mudar essa enfermeira de setor, senão vou perder meus anjos para o “outro lado”.

Promotor abrindo um caderno e anotando: – Muito bem… agora que já decidimos a questão dos peitos…

Zé do Povo faz que vai olhar pra dentro da camisa e desiste, com gesto.

Deus: – Muito bem… Sejamos justos… Você nunca havia parado pra pensar que ter carne dos animais pra comer,  implicava neles sofrerem e serem mortos…

Promotor bate na testa: – Dãmmm!

Zé do Povo mostra a língua.

Deus:  – Eu decreto que a pena dele seja diminuída em um milionésimo…por ignorãncia e burrice voluntária!

Zé do Povo: – Só isso? Se eu soubesse, iria ser mais ignorante!

Deus e o Promotor batem na testa!

Deus: – Deveria ser justamente o contrário. Como você passa a vida interia, comendo uma coisa que não sabe direito de onde vem e como é feita? (cara de desaprovação)

Promotor: – Segundo o IASP-Internacional Association for the Study of Pain, (faz cara de sabichão) a definição de dor é a seguinte:

Continua no próximo mês…

 

Quem quiser representar essa peça, fale conosco ou com o dr. Ricardo Capuano (11-20975643 – Clinica Veterinária)

comparar-se

22 de julho de 2017
por Wil Oliveira
0 comentários

Deveria ser… mas não é!

comparar-se ao outro

(…) Estamos sempre a comparar o que somos com o que deveríamos ser. Esse ‘deveria ser’ é uma projeção do que pensamos que deveria ser. Comparamo-nos com nosso vizinho, com a riqueza que ele tem e que nós não temos. Comparamo-nos com os que são mais brilhantes, mais intelectuais, mais afetuosos, mais bondosos, mais famosos, mais isto e mais aquilo. O mais tem um importantíssimo papel em nossas vidas, e essa medição que em cada um de nós se verifica, a medição de nós mesmos com alguma coisa, é uma das principais causas do conflito. Nela, há competição, comparação com isso e aquilo, e ficamos envolvidos nesse conflito. Ora, porque existe comparação?” (Como viver neste mundo – Krishnamurti – p. 23 da 2-a edição em 1976 – ed.ICK)

Continue Lendo →

O Julgamento

22 de julho de 2017
por Ricardo Capuano
0 comentários

Ato 2 – O Julgamento

O Julgamento

Verter Geister – Ricardo Luiz Capuano
(Sequência do JNC – 241 de junho de 2017 que editou, em comemoração aos 21 anos, o primeiro ato dessa peça teatral, comédia, na qual Zé do Povo está em julgamento, sem saber porquê. Deus diz que sua pena será triplicada, e ele desmaia)

Abrem-se as cortinas.

Zé do Povo está sentado em uma cadeira tomando água e há uma enfermeira bonita, de roupa curta e asas. Ela está cuidando dele, que a trata com assanhamento. Continue Lendo →

21 anos jornal do neie cem

22 de junho de 2017
por Cristina Sarraf
0 comentários

Junho de 2017 – vinte e um anos!

21 anos jornal do neie cem

Há 21 anos esse jornal nasceu e sua trajetória tem sido gratificante para todos que lhe dão valor.
É hora e externar nossa gratidão a Espíritos e pessoas, amigos que colaboram com sua existência. Sem privilegiar, agradecemos ao Klaibert Miranda, ao Carlos Demate e ao Wilson Oliveira.
Que a razão de ser de nosso JNC possa permanecer concretizando-se nessa página mensal, por muito mais tempo!
E que possa levar, cada vez mais, esclarecimentos e libertação aos seus leitores e amigos.

O Julgamento

22 de junho de 2017
por Ricardo Capuano
0 comentários

“O JULGAMENTO” ou “TUDO TEM LIMITE”

Verter Geister – Ricardo Luiz Capuano

Personagens: Deus, promotor, acusado: Zé do Povo e enfermeira
Cenário: bancada de Juiz, nuvens ao fundo com anjos desenhados (céu cristão)

Ato 1 – Apresentação

O Julgamento

Ouve-se sons de clarins e efeitos visuais parecidos com trovões. Abrem-se as cortinas. Entra o Promotor, vestindo terno de advogado, com asas nas costas.

Promotor: – Chegou o Apocalipse! Tremam as terra! Gelem os corações! A hora do julgamento chegou! Que entre o Criador incriado!
Entra em cena Deus, vestido de juiz. Continue Lendo →

leis regras e normas

22 de maio de 2017
por Cristina Sarraf
1 Comentário

Leis, regras, normas, itens…

leis regras e normas

Sim, precisamos de leis, regras, normas, porque nossa evolução ainda não permite que tenhamos uma sociedade, um agrupamento humano, uma empresa, uma família, amizades… e as atividades e convivências correspondentes, na qual todos saibam e escolham o bem comum, sem prejuízo pessoal.0 Continue Lendo →

autoconhecimento

22 de maio de 2017
por Wil Oliveira
2 Comentários

Conhecer-se

autoconhecimento

Krishnamurti, filósofo, escritor e educador indiano em seu livro “Como viver nesse mundo” nos trás a uma reflexão sobre entendimento e libertação de nós mesmos:  “(…) Eis porque devemos conhecer-nos, pois quanto mais uma pessoa se conhece, tanto mais amadurecida está. Só há falta de madureza na ignorância de si mesmo.” (p. 11) Continue Lendo →