maes

Mães

| 1 Comentário

maes

“A noite chega e com ela as contrações aumentam; ela vive nas ruas há vários meses; foi expulsa de casa, pois diziam que ava muito trabalho. De certo modo foi até bom, por que ela não aguentava mais apanhar tanto… Já era adolescente, tinha “ficado mocinha” pela primeira vez pouco antes de sair de casa. Na rua, demorou a aprender a “se virar”, sofreu, penou e acabou grávida.

Agora estava ali, em um canto escuro, sentindo dores violentas na hora derradeira do parto. Seus gritos e sofrimento se perdem na noite e em instantes ela se torna mais uma mãe desesperada, sem lar, sem família, sem nada e ninguém… E agora responsável também pela vida de seu filho.”

Essa é a historia de “M…” uma menina (humana) que foi expulsa de casa aos 13 anos e que teve seu filho num canto de rua, e no desespero de não poder alimentá-lo, abandonou-o em uma caçamba de lixo.

Muito triste e chocante realmente, mas se deixarmos de ser “especistas”, veremos que essa historia se repete todos os dias, em nossas ruas.

Fêmeas de cães e gatos, todos os dias, dão a luz a milhares de filhotes, nas ruas, telhados e becos, tornando-se mães. Algumas no desespero da falta de comida, carregam seus filhotes por longas distâncias, procurando abrigo e comida; outras, no desespero de não terem como alimentar seus filhotes, os matam ou comem, na esperança de diminuir seu sofrimento. Muito triste!

Imaginem então, a dor e o sofrimento das mães bovinas, que pouco depois de nascer, seus filhotes são arrancados de seu convívio e mortos,  para que o leite que lhes era de direito, seja vendido, gerando lucro a seus donos.

Pensemos na tristeza das galinhas, forçadas a se reproduzirem com rapidez e a custo de seu tempo de vida. E quando seus filhotes não são do sexo desejado, são moídos e usados para alimentá-las; nada poderia ser mais tenebroso. Ou poderia…

Saber que o sangue das vacas e bois abatidos, são usados para alimentar os bezerros acorrentados para virar “baby-beef”, puro “terror show”, na falta de uma palavra mais forte.

E não esqueçamos as pobres cadelas e gatas de raça, nas quais, criadores inescrupulosos provocam uma cria após outra, deixando seus corpos deformados e fracos; sendo abandonadas ou mortas, quando não “produzem” mais.

Mãe é mãe! Dor é dor! Sofrimento e tristeza são iguais em todas as espécies, seja entre humanos ou em relação aos outros animais. 

PARE E PENSE!
O QUE VOCÊ NÃO DESEJA PARA SUA MÃE, NÃO DEIXE ACONTECER À MÃE DOS OUTROS SERES VIVOS!

One Comment

  1. O respeito sempre a dada ser vivo!!!!

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.