O Julgamento

Ato 3 – A Condenação

| 0 comentários

O Julgamento02

Abrem-se as cortinas Zé do Povo está sentado e a enfermeira está cuidando dele.

Promotor fala para a enfermeira: – Ele já está bem…Pode ir minha anjinha (se engraçando com ela)

Deus com cara de bravo: – Vou ter que mudar essa enfermeira de setor, senão vou perder meus anjos para o “outro lado”.

Promotor abrindo um caderno e anotando: – Muito bem… agora que já decidimos a questão dos peitos…

Zé do Povo faz que vai olhar pra dentro da camisa e desiste, com gesto.

Deus: – Muito bem… Sejamos justos… Você nunca havia parado pra pensar que ter carne dos animais pra comer,  implicava neles sofrerem e serem mortos…

Promotor bate na testa: – Dãmmm!

Zé do Povo mostra a língua.

Deus:  – Eu decreto que a pena dele seja diminuída em um milionésimo…por ignorãncia e burrice voluntária!

Zé do Povo: – Só isso? Se eu soubesse, iria ser mais ignorante!

Deus e o Promotor batem na testa!

Deus: – Deveria ser justamente o contrário. Como você passa a vida interia, comendo uma coisa que não sabe direito de onde vem e como é feita? (cara de desaprovação)

Promotor: – Segundo o IASP-Internacional Association for the Study of Pain, (faz cara de sabichão) a definição de dor é a seguinte:

Continua no próximo mês…

 

Quem quiser representar essa peça, fale conosco ou com o dr. Ricardo Capuano (11-20975643 – Clinica Veterinária)

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.