autoresponsabilidade

Quero progredir e me responsabilizo por isso

| 0 comentários

autoresponsabilidade

A grande sabedoria da vida consiste em saber utilizar de maneira oportuna e eficiente os conhecimentos que adquirimos durante nossas existências, que são escolas por onde já passamos, estamos passando e passaremos, com um único objetivo: aprender, por em prática e progredir.

Dessa forma, cabe-nos estar atentos e receptivos a todas as oportunidades de aprendizado que nos são proporcionadas, na medida em que somos os únicos responsáveis pelas situações que vivenciamos.

Sabendo isso, podemos encarar fatos e criaturas  de outra forma, sob novo prisma.

Olhar ao derredor, identificar as pessoas com as quais afinizamos, com as que não afinizamos e suas respectivas energias, possibilita-nos um maior conhecimento sobre nós mesmos, pois a afinidade acontece por semelhança fluídica, bem diferente do mundo material, onde os opostos é que se atraem. Vale lembrar também, que aquilo que identificamos no outro, sejam aspectos bons ou ruins, não raras vezes está presente em nós mesmos…

Nesse novo olhar, identificamos pessoas que são independentes e otimistas, assumem a própria responsabilidade, cuidam de si, não descarregam seus problemas nos outros e veem em si próprios, os meios de solucioná-los, com ou sem ajuda de outras pessoas. Estão sempre se renovando, são cooperativas e confiantes, e por isso, estimulam a renovação, a cooperação e a confiança dos outros. Seus “olhos de ver” conseguem enxergar sempre algo positivo em cada situação.

Outras, são dependentes e pessimistas, são vítimistas e sofredoras. Julgam e encontram sempre um culpado: sempre o outro! Acreditam na sua incapacidade e não tem opinião própria. O seu foco jamais é o que já conquistou, mas o que ainda lhe falta. Têm medo das mudanças, vivem ansiosas pelo futuro ou depressivas com o passado.

Uma postura cuidadosa e a sensibilidade, permite também perceber as energias dos ambientes.

Os fluidos bem qualificados provocam uma sensação de bem estar, de satisfação, equilíbrio e harmonia em nossos dois corpos (perispiritual e material). Já os fluidos mal qualificados provocam sensações de mal estar, insatisfação, desequilíbrio e desarmonia. Os ambientes em que não nos sentimos bem, são aqueles que possuem energia/fluidos que não são compatíveis e não se afinizam conosco. E muitas vezes, dentro da nossa própria casa isso ocorre; o que mostra falta de atenção e pensamentos de baixa qualidade.

Uma reorganização e uma faxina sempre são bem vindos, pois através dessa ação material, estamos também fazendo o mesmo, energeticamente. O que não dispensa o cuidado com os pensamentos, os grandes responsáveis pela qualificação fluídica ambiental.

Sendo assim, é importante lembrar que somos responsáveis pela qualidade energética de nossa vida e dos ambientes em que vivemos. Ou seja, estamos chamados a decidir, optar, escolher como serão e qual o tipo de pensamentos que vamos cultivar, pois eles dão qualidades aos fluidos, como nos ensina o Espiritismo.

E sabendo dessa responsabilidade, decidimos como usar nossa energia. Se colocarmo-nos a nosso favor, nos conhecimentos e qualidades já conquistadas e naquilo que é preciso melhorar, com um olhar respeitoso e amoroso por nós mesmos, potencializaremos recursos e conseguiremos nos aperfeiçoar nesses aspectos. Do contrário, colocando-nos contra nós mesmos, nos julgando e condenando pelas nossas faltas e erros, permanecemos na mesma e muitas vezes aumentaremos as dificuldades.

Então, seria bom identificar esse mecanismo automatizado de desvalor do “eu-comigo” que só retarda a evolução, pois perde-se muito tempo e energia com foco no que falta, no que não está bom, naquilo que achamos que somos deficientes, e não fazemos nada por aquela situação, mas comparamos  com o outro “ideal”, etc. E a consequência é clara: deixamos de desenvolver muitas potencialidades muito úteis para sermos felizes..

É libertador assumir responsabilidade pelo seu bem estar e pelo que quer. Mas é preciso colocar todos os conhecimentos e experiências que você já adquiriu, em uso; além de boa vontade, para que as mudanças de fato aconteçam, demorem quanto for.

Um pensamento do tipo: “Pelo meu bem estar, eu não quero mais sofrer com tal situação e me responsabilizo a partir de agora para que tudo fique bem ”, é uma atitude, que se for mantida, estabelece sua nova forma de ser. “Sou o melhor que pude ser até esse agora”; “Escolho pensamentos de harmonia, paz e amor para comigo mesmo; me responsabilizo por isso e tenho fé”; “Sou grato e responsável por todas as situações que vivencio” …

Se forem atitudes e não apenas palavras, ajudam a si mesmo e intensificam a ajuda dos amigos espirituais, permitindo o fluir dos recursos necessários para que determinada situação aconteça.

A vontade de progredir é o primeiro passo, responsabilizar-se pela melhora são os seguintes…

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.